(PSICOPATOLOGIA) ORIENTAÇÃO E ALTERAÇÃO DA CONSCIÊNCIA

Autores:

RODRIGO ALVES TRINDADE

THALIA R. MARTINS

 JOSE BRUNO ANGELO GOMES

 MARIA KARLENE

PATRÍCIA DE SOUSA WANDERLEY

ANA CAROLLYNA PIRES DELGADO

ANDRE LUIZ CUNHA

SABRINA CRISTINA LOURENÇO

 

(ORIENTAÇÃO E SUAS ALTERAÇÔES)

 

[1]Graduandos do curso de Psicologia da Faculdade Estácio de Sá – FESGO, cursando o 6º período, matéria psicologia de Psicopatologia. Thalia R. Martins,Jose Bruno, Patrícia Wanderley, Rodrigo Trindade, Ana Carollyna, Andre Luís, Maria Karleni dos Santos, Sabrina Cristina Lourenço [1] Trabalho para nota parcial de av1, orientado pela Professora: Fernanda Romano.

Goiânia-GO

2017

Trabalho de funções psíquicas confeccionada sob a orientação da Professora Fernanda Romano, para nota complementar parcial da disciplina de Psicopatologia do Curso de Psicologia da Universidade Estácio de Sá – FESGO.

Artigo: Psicopatologia – ORIENTAÇÃO E ALTERAÇÃO DA CONSCIÊNCIA, Goiania, Estacio de Sá – Fesgo, 27/08/2017 Estudantes (6) Periodo de Psicologia. 

Fundamentação Teórica:

De acordo Com autor (Paulo dalgalarrondo, 2000) orientação da consciência e a capacidade do indivíduo- se situar a si mesmo e quanto ao ambiente e o processo básico da atividade mental normal do ser humano que apresenta funções normais cognitivas. já as alterações da consciência e o estado de nível mais baixo da alteração da percepção do indivíduo, em estado de delírio, Podemos destacar a importância da orientação da pessoa em realizar tarefas diárias, atividades rotineiras, profissional e domesticas etc. como por exemplo saber a diferença de direita e esquerda  o seu estado psíquico difere a sua  noção de orientação de si mesmo e o ambiente essas funções são divididas em orientação espacial, exemplo onde a pessoa está e orientação temporal e a capacidade  de percepção do ser humano perceber o tempo, horas, dia etc. Avaliação e um instrumento importante em investigar alterações da psique de cada indivíduo o seu estado de saúde e nível de consciência atual.. Orientação requer, de forma consistente, a integração da capacidade de atenção, percepção e a memória. Problemas patológicos também ocorre alterações da orientação também, como déficits de memória, demências e de qualquer outro transtorno mental patológicos identificado e sintomas apresentados no paciente.A capacidade de se orientar se e classificada em orientação subdividida em Auto psíquica e a orientação do indivíduo de si mesmo, histórico de vida, estado civil, profissão. Orientação Alo-psíquica diz a respeito á capacidade de orientar – se em relação ao mundo. De acordo (Lesak,1995). Apesar de alterações da atenção e retenção da memória imediata e recente apenas pouco mais intensas do que leves costumam ressaltar em alterações globais da orientação. Além disso, orientação e excepcionalmente vulnerável aos efeitos da disfunção ou dano celebrais. Não preservada não significa obrigatoriamente que o sujeito não apresente qualquer alteração cognitiva ou atencional(Lesak,1995).é importante lembrar o alerta de Paulo Dalgalarrondo: não existem funções psíquicas isoladas e alterações psicopatológicas comparti mentalizadas desta ou daquela função. É sempre a pessoa, na sua totalidade, que adoece.As funções perturbadas sinalizam a existência de transtornos subjacentes, ligados à personalidade inteira, atingida na sua estrutura e em seu modo de existir.Isto posto, podemos estudar essas funções e suas alterações tendo em busca de sinais que nos ajudem a compreender o adoecimento mental em sua totalidade.De acordo com Dalgalarrondo, há 14 funções psíquicas que devem ser investigadas no exame de estado mental. Essas funções se dividem em três grupos, cada um deles sendo mais afetado em condições clínicas específicas, as funções mais afetadas nos transtornos psico-orgânicos nível da consciência, atenção, também nos quadros afetivos, principalmente sintomas de mania, orientação, memória, inteligência QI do indivíduo, linguagem, Psicoses,Funções mais afetadas nos transtornos afetivos, neuróticos e da personalidade: Afetividade, vontade, psicomotricidade, personalidade, funções mais afetadas nos transtornos psicóticos, senso percepção, pensamento, juízo da realidade e a vivência do eu.A alteração da consciência pode ocorrer da seguinte forma, causa de dano na estrutura encefálica ou danos celebrais, processos de infecção, drogas, sedativos depressores do sistema nervoso central e lesão axonal difusa no encéfalo, traumas como coma, estado estupor de paciente e só despertado apenas por estímulos físicos vigorosos. Os níveis de consciência com alterações menos intensas são geralmente denominados letargia ou, se foram mais graves, obnubilação. O delírio e diferenciado porque os distúrbios cognitivos atenção, cognição e níveis de consciência flutuam mais, também o delírio geralmente e reversível delírio e demência. A alteração da consciência pode ser defina como qualitativa e quantitativa influenciando na qualidade de vida do indivíduo.

Funções Psíquica

Consciência

Orientação

Atenção

Memória

Senso-percepção

Pensamento

Afeto

Linguagem

Conduta

Diminuição predominantemente quantitativa da consciência.

Obnubilação

Sonolência

Estupor

Pre-coma e coma (I a IV)

Estado de consciência para-sônico

Perturbações qualitativas da consciência

Delirium Tremens

Estado Crepuscular

Estado Oniroide

Estado Confessional (Amência)

Funções Psíquicas Alteradas

O Estudo analítico das funções psíquicas tem fins didáticos: E sempre a pessoa na sua totalidade que adoece. A síndromes psiquiátricas não são apenas agrupamentos de sinais e sintomas que coexistem com regularidades e revelam origem comum, mas vai além: é centrada na pessoa humanas. funções mais afetadas nos transtornos psicorgânicos: Consciência, atenção, orientação, memória, inteligência, linguagem. Funções mais afetadas nos transtornos afetivos, neuróticos e de personalidade: Afetividade, vontade, psicomotricidade e personalidade. Funções mais afetadas nos transtornos psicóticos:Senso-percepção, pensamento vivência do tempo e do espaço, juízo de realidade e vivencia do eu.

A consciência e suas alterações

Conhecimento compartilhado com o outro e consigo mesmo:

Definição neuropsicológica: estado vigil, grau de clareza do sensório, lúcido, estar desperto;

Definição psicológica: soma de todas as experiências conscientes de um indivíduo em um determinado momento;

Definição ético-filosófica: capacidade de tomar ciência dos deveres éticos e assumir responsabilidades.

Inconsciente: a temporal, isento de contradições, caóticos, dinâmicos e regido pelo princípio do prazer, pré-consciente idéias, lembranças, representações e sentimentos que podemos evocar voluntariamente e consciente.

Alteração Normais

Sono: estado especial que ocorre de forma cíclica e recorrente, estado comportamental e fase fisiológica necessária do organismo

Não-Rem: sincrônico, diminuição  da a atividade do sistema nervoso simpático e aumento relativo do parassimpático.Sono REM, Sonhos

Alteração Patológica

Quantitativas  rebaixamento do nível de consciência.

Obnubilação ou turvação da consciência: sonolência, letargia, diminuição da concentração, sensação de perplexidade, compreensão dificultada, pensamento ligeiramente confuso, rebaixamento de grau moderado a leve.

Topor, sopor, estupor ou coma superficial: incapacidade de agir espontaneamente, despertar a partir de estímulos enérgicos e dolorosos, estado marcante de turvação da consciência.

Coma: maior rebaixamento da consciência, ausência de atividade voluntária/consciente.

Morte encefálica: ausência irreversível de atividade mental.

 Hiperestesia percepções (cor, sabor, odor..) anormalmente aumentadas (esquizofrenia, mania, enxaqueca e intoxicações por drogas). (Exagerado)

Hipoestesia percepções anormalmente diminuídas (depressão e estado alterado de consciência) – mundo percebido com menos brilho, cheiro, sabor.

 Analgesia ausência de percepção dolorosa em partes do corpo (alteração neurológica ou psicogênica). (Socorro)

Delirium (Síndrome Orgânica Confusional Aguda): distúrbios próprios do cérebro ou originados fora dele: rebaixamento leve a moderado, desorientação temporo-espacial, pensamento confuso, prejuízo na memória, alterações no ciclo sono-vigília, labilidade afetiva, alteração na senso-percepção, delírios, dificuldade de concentração, agitação ou lentificação psicomotora, ilusões e/ou alucinações. Origem orgânica presente na abstinência alcoólica e de psicoativos, doenças vasculares, infecções no Sistema Nervoso Central, epilepsia, quadros demências, intoxicação, estado febril, quadros febris tóxico-infecciosos, tumores intracranianos, encefalite, traumatismo craniano e efeito colateral de medicamento.

Estado onírico:  turvação da consciência, estado semelhante a um sonho vivido, predomínio da atividade alucinatória visual intensa com caráter cênico e fantástico, carga emocional marcante na experiência onírica com angústia, terror ou pavor. Ocorre em quadros febris tóxicos-infecciosos, psicoses tóxicas, síndromes de abstinência a substâncias = categoria delirium

Amência: rebaixamento do nível de consciência, excitação psicomotora, incoerência do pensamento, perplexidade, sintomas alucinatórios oniróides (com aspecto de sonhos). Atualmente existe a tendência para designar a amência com o termo delirium.

Orientação espacial

É a capacidade que o indivíduo tem de situar-se e orientar-se, em relação aos objetos, às pessoas e o seu próprio corpo em um determinado espaço. É saber localizar o que está à direita ou à esquerda; à frente ou atrás; acima ou abaixo de si, ou ainda, um objeto em relação a outro.

Orientação Temporal

 E a capacidade da pessoa perceber tempo cronológico está vivendo, hora do dia também e possível avaliar a noção da pessoa tem da duração dos eventos e da continuidade temporal.

Orientação e suas Alterações

 Orientação Auto psíquica: orientação do indivíduo em relação a si mesmo. Revel a se o sujeito sabe quem é,idade,data de nascimento,profissão,estado civil e etc.

 Orientação alo-psíquica: diz respeito à capacidade de orientar-se em relação ao mundo, isto é,quanto ao espaço (orientação espacial) e quanto ao tempo(orientação temporal).

Neuropsicológica da Orientação:

 A desorientação tempoespacial ocorre de modo geral, em quadros psico-orgânicos, quando três áreas encefálicas são comprometidas:

1.Lesões corticais difusas e amplas ou em lesões bilaterais(Ex. doença de Alzheimer);

2.Nas lesões meso-temporais do sistema límbico(Ex: Síndrome de Korsakoff);

3.Afecções do tronco cerebral e o sistema reticular ativador ascendente, comprometendo o nível de consciência(Ex: delirium e demais síndrome decorrentes de alteração do estado de consciência);

 Alterações da Orientação:

 Existem vários tipos de desorientação dependentes do tipo de alteração de base que as condicionam. É importante salientar que o primeiro nível de orientação afetado é o temporal, seguido pelo espacial e finalmente, com grande agravamento do distúrbio, quanto a si mesmo. A desorientação pode ocorrer por:

Qualitativas: campos da consciência, estreitamento da consciência, perda da capacidade de julgamento da realidade como um todo.

 

Estados crepusculares: estreitamento transitório da consciência que surge e desaparece de forma abrupta (atos explosivos, descontrole emocional, quadros histéricos agudos, epilepsias e intoxicações), afunilamento da consciência, conservação de uma atividade psicomotora global mais ou menos corre nada, atos explosivos violentos, episódios de descontrole emocional, amnésia lacunar, mas acompanhada de relativa conservação da atividade motora coordenada, estado patológico transitório. Ocorre após traumatismo craniano, intoxicação por álcool ou outras substâncias, epilepsia, quadros dissociativos histéricos agudos e choques emocionais intensos.

Redução do nível de consciência: também chamada de desorientação torporosa ou confusa, é aquela na qual o indivíduo está desorientado por turvação da consciência. Tal turvação e o rebaixamento do nível de consciência produzem alteração da atenção,da concentração e consequentemente da capacidade de percepção e de estímulos ambientais.É a forma mais comum de desorientação.

Déficit de memória imediata ou recente: denominada de desorientação amnésica, ocorre devido a incapacidade do indivíduo de reter informações ambientais básicas em sua memória. Essa desorientação é típica da Síndrome de Karsakoff.

Distúrbio Demencial: muito próxima à amnésica, ocorrendo não apenas por perda da memória de fixação. Más por déficit de reconhecimento ambiental(agnosias) e por perda e desorganização global das funções cognitivas. Ocorre nos diversos quadros de demências, como na Doenças de Alzheimer, demências vasculares etc.

Distúrbio Delirante: ocorre em indivíduos que se encontram em profundo estado delirante,vivenciando idéias delirantes muito intensas,crendo que estão habitando o lugar e/ou tempo de seus delírios. Pode ocorrer também a dupla orientação, na qual o paciente oscila entre a orientação do delírio e a real.

 

Déficit intelectual: anteriormente chamada de oligofrênica, ocorre em indivíduos com deficiência ou retardo mental grave ou moderado. A desorientação ocorre pela incapacidade de compreender,reconhecer e interpretar o ambiente e as convenções sociais, como horários e calendários.

 Dissociação: também chamada de desorientação histérica, ocorre em paciente psicóticos, geralmente esquizofrênicos em estado crônico e avançado da doença,quando

o indivíduo,por desagregação profunda do pensamento,apresenta toda a sua atividade mental gravemente desorganizada, o que o impede de se orientar de forma adequada quanto ao ambiente e quanto a si mesmo.

 

Desorientação quanto à própria idade: discrepância de cinco ou mais anos entre a idade real e a que o paciente acha que tem. Tem sido descrita em alguns pacientes esquizofrênicos crônicos e parece ser um bom indicativo clínico de déficit cognitivo na esquizofrenia.

Desorientação por redução de nível da consciência

O indivíduo está desorientado por turvação da consciência. Tal turvação e rebaixamento do nível de consciência produzem alteração da Atenção, da Concentração e conseqüentemente, da capacidade de Percepção e retenção dos estímulos ambientais. Isso impede que o indivíduo apreenda a realidade de forma clara e precisa e integre, assim, a Cronologia dos fatos.O indivíduo não consegue reter as informações ambientais básicas em sua memória. Não conseguindo fixar as informações, perde a noção do fluir do tempo, do deslocamento no espaço, passando a ficar desorientado tempo espacialmente.

Desorientação Apática ou Abúlica

Ocorre por apatia ou desinteresse profundos. Aqui, o indivíduo torna-se desorientado devido a uma marcante alteração do humor e da volição, comumente em quadro depressivo.

Desorientação delirante

Ocorre em indivíduos que se encontram imersos em profundo estado delirante, vivenciando idéias delirantes muito intensas, crendo com convicção plena que estão “habitando” o lugar (e/ou tempo) de seus delírios. Nesses casos, é comum a chamada Dupla Orientação, na qual a orientação falsa, delirante, coexiste com a orientação correta.

Desorientação por déficit intelectual

Ocorre em indivíduos com deficiência ou retardo mental grave a moderado. Nesse caso a desorientação ocorre pela incapacidade ou dificuldade em compreender o ambiente e de reconhecer e interpretar as convenções sociais (horários, calendário, etc.) que padronizam a orientação do indivíduo no mundo.

Desorientação por dissociação

Ocorre em geral em quadros histéricos graves, normalmente acompanhada, de alterações da identidade pessoal e de alterações da consciência secundárias à dissociação histérica.

Desorientação por desagregação

Ocorre em pacientes psicóticos, geralmente esquizofrênicos em estado crônico e avançado da doença, quando o indivíduo por desagregação profunda do pensamento, apresenta toda a sua atividade mental gravemente desorganizada, o que o impede de se orientar de forma adequada quanto ao ambiente e quanto a si mesmo

Desorientação quanto a própria a idade

É definida como uma discrepância de cinco anos ou mais entre a idade real e aquela que o paciente diz ter.

Alterações senso-percepção

União da sensação (estimulação física, química ou biológica) com a percepção (tomada de consciência do estímulo).

Referências:

Psicopatologia e Semiologia dos Transtornos Mentais – Paulo Dalgalarrondo – 2000

http://www.msdmanuals.com/pt/profissional/distúrbios

 

 

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s