Artigos

Comunicação: o corpo fala e você não escuta

Ainda hoje existem pessoas que ignoram a linguagem corporal, mas pesquisas mostram que a comunicação não verbal é responsável por mais de 50% nas conversas, temos que ter a consciência de nossos atos evitando que o corpo “fale” algo diferente do que nossas palavras, é sobre isso o artigo de hoje.

O corpo fala, preste atenção e vais encontrar pistas importantes durante a conversa com as pessoas. A postura, o movimento dos olhos, do rosto, expressões, pernas e mãos, no mínimo que seja, declaram a verdade e quem somos e muitas vezes traduzem o que as palavras não conseguimos expressar. Gestos repetitivos tais como bater as mãos sobre as pernas, o pé no chão ou a caneta na mesa, indicam ansiedade e vontade de sair daquela situação. Olhar muito para o relógio ou para a porta também transmite a mesma sensação. Precisamos aperfeiçoar nossa linguagem não verbal, compreendendo a importância do equilíbrio na comunicação (verbal X não verbal).

Algumas sugestões e cuidados com a linguagem corporal:

Não fique olhando para baixo ou para o teto, mantenha sempre o olhar erguido, com simplicidade, mas não intimidador, fique com as costas eretas, postura ao sentar na cadeira, mas cuidado com o ar de superioridade, tenha certeza que vai facilitar a comunicação com a outra pessoa é sinônimo de sucesso. Os movimentos de pernas, rosto e mãos, por menores que sejam revelarão quem você é ou o que está sentindo, principalmente as mãos (tremer, ficar geladas, suadas) podem demonstrar ansiedade. Evite colocá-las nos bolsos ou na cintura quando estiver falando, elas devem encontrar um espaço para se expressar, de forma natural e espontânea. Cruzar os braços ou as pernas pode parecer que você esteja fechado para feedbacks, são ações instantâneas e muitas vezes automáticas que podem transparecer alguma coisa, mesmo que você não fale absolutamente nada. Na comunicação não verbal está a comunicação sensorial de aceitar ou rejeitar uma mensagem. A proporção de assertividade da comunicação está diretamente ligada à atitude que se tem ao passar a mensagem e também de recebê-la. Ela é tão importante que até mesmo pessoas de países de idiomas diferentes conseguem se comunicar através do não verbal (sorriso, choro, arrogância, nervosismos, ansiedade), ou seja, as emoções são passada e as pessoas compreendem esse tipo de linguagem, com diz aquela frase “um gesto vale mais que mil palavras”.

“Acontece às vezes que uma flecha lançada ao acaso atinge o alvo que o arqueiro não queria; muitas vezes uma palavra pronunciada sem desígnio lisonjeia ou magoa um coração infeliz dividido entre o prazer e o medo.” (Scott, Walter)

Publicidade
Artigos

Robert Sternberg e a Teoria Triangular do Amor

Teoria Triangular do Amor psicólogo americano Robert Sternberg caracteriza o amor em uma relação interpessoal de acordo com três componentes diferentes: Emocional intimidade, paixão e compromisso. Privacidade refere-se a sentimentos de apego, proximidade, ligação e calor no relacionamento. Quer promover o bem-estar dos outros, a felicidade é experiente com o outro, não é a compreensão, unidade, confiança, cumplicidade e apoio emocional recebido. A paixão é o impulso que leva ao romance, para a consumação da atração física sexual. Além do impulso sexual podem estar em questões de estaca que têm a ver com a auto-estima, que pertence aos outros, dominância ou submissão. É a rápida visão, inexplicável, idealização, atração, incapaz de parar de pensar sobre a outra pessoa. Compromisso de acordo com Sternberg tem dois componentes, um de curto prazo, (a decisão de que é não necessariamente que você ama alguém) e longo prazo (a decisão de manter essa relação) Intimidade ligaria componente, conexão, compartilhando sentimentos com a outra. Paixão seria o desejo de união com a outra expressão que transmite algumas necessidades pessoais como a auto – estima, satisfação sexual, etc. O compromisso é uma decisão firme para ficar com essa pessoa, para continuar a relação por tempo indeterminado ou permanente.De acordo com a Sternberg, amor completo seria um que tem os três componentes e assim seria mais provável continuar ao longo do tempo para um amor que foram baseados em apenas um ou dois deles, mas também deve apontar para fora que qualquer uma das variantes de arremesso triângulo pode ser simplesmente uma etapa que passa uma relação que pode ser bem sucedida e satisfatória, ou pode ser o amor completo para alguém que não tem necessidade de comprometer, ou paixão, ou intimidade.

Assim, estes seriam alguns tipos de relacionamento, nem de possíveis fases do mesmo:

  1. intimidade: O sentimento de afeição amigável, onde você tem uma ligação real com o outro, mas não há nenhuma paixão ou compromisso. Poderia ser o caso de um relacionamento que está pronto para aceitar que é mais ou amigo.
  2. Paixão: Apenas paixão. É o modelo de amor que não tem nenhuma ligação com o outro ou pretende ficar ao seu lado (e na minha opinião pode ser um modelo perfeito, se ambos estiverem nesse ponto).
  3. amor vazio: Ele é a união em que não há nada de paixão (porque era ou porque ele nunca apareceu), nem intimidade entre seus membros, e ainda não é a intenção de quebrar o casal. Aviso! alto risco de amargura.
  4. O amor romântico é aquele em que a paixão está presente e não é também uma ligação íntima entre amantes, mas não uma intenção de continuidade no relacionamento. verão louco, por exemplo.
  5. Compromisso: Essa união em que não é nenhuma paixão, mas o compromisso, companheirismo, emocional e laços pessoais estão intactos.Pode parecer afeto, mas é mais forte, uma vez que contém um compromisso para ficar juntos. Pode ser uma amizade muito especial com alguém, uma relação em que a paixão esfriou, o vínculo com um irmão …
  6.  Amor louco: São essas relações em que não é paixão e membros se apressam para cometer sem ter construído uma ligação e uma intimidade anterior. Eu vejo isso muitas vezes, estou com medo.
  7. amor consumado ou completa: Ele seria o amor ideal e perfeito em que nãosão não só os três componentes de uma só vez (o casal tem paixão continuamente, criaram uma forte íntimo e que compartilham de seus sentimentos e mais pessoais ideias vincular e também eles estão firmemente determinados a continuar juntos), mas também tendo em conta os três componentes igualmente em ambas (como se pode sentir um monte de paixão e intimidade, mas tem um pouco menos compromisso, enquanto o outro poderia ser qualquer compromisso e contribuem muito pouco paixão seu adversário, destabilizando o triângulo).

Sternberg diz – e eu dou toda a razão que a manutenção de um amor consumado pode ser ainda mais difícil do que construir isso . É vital que a presença dos três componentes dentro de nós vai se traduzir em ações que fazem visíveis, uma vez que o equilíbrio pessoal em cada um de nós vir da delicada relação entre a forma como você se sente e perceber como o outro sente.

“Sem expressão , ele adverte, mesmo o maior amor pode morrer.”

Se o assunto você gostou e quer para continuar a fazer a lição de casa em seu próprio país, deixo aqui uma análise empírica desta teoria por G. M. Serrano e Carreño, da Universidade de Santiago de Compostela , e um estudo sobre as atitudes os jovens para o amor, em relação à teoria de Sternberg, publicado por V. Cooper e B. Pinto San Pablo Universidade da Bolívia .

Um par de questionários elaborados – se pela Sternberg possui a primeira ea segunda Hendryck Hendrick e para avaliar o tipo de relacionamento é mantido.

%d blogueiros gostam disto: